2J9A5156.jpg

Derlon

Recife – PE / 1985

(vive e trabalha em São Paulo)

Sua relação com as artes é diretamente com a imagem gráfica.

Baseando-se na estética da xilogravura popular e investindo na expressividade de traços simples e reduzidos, cria obras que valorizam a interação com o público em trabalhos predominantemente monocromáticos.

Interessa-se por desenho desde muito cedo, na adolescência é atraído pela arte urbana, em especial pelo graffiti. Nesse período, além de fazer intervenções em muros e paredes nas ruas, também é influenciado pela simplicidade impactante das imagens da xilogravura e frequenta cursos em que aprende técnicas de gravura.

 

Seus estudos concentram-se em criar uma simbiose entre as pinturas murais com a estética da xilogravura, criando assim uma nova linguagem visual. Passa a utilizar suas descobertas pictóricas nas intervenções que faz em muros do centro do Recife, e logo se expandindo para outros suportes onde ganhou notoriedade e chamou a atenção do público em geral.

 

As pinturas do Derlon são propositalmente simples e expressivos. Na maioria das obras, ele usa a cor preta sobre fundo branco. A opção estética do artista é reduzir traços e acentuar o poder comunicativo deles para criar suas obras. O objetivo é manter o peso visual, da forma mais simples possível, efeito que se obtém pela transposição da estética da xilogravura para o conceito gráfico e minimalista sobre novos suportes.

Logo teve a sua primeira participação em uma exposição, que foi na coletiva Estética da Periferia no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, Recife, 2007, depois sendo convidado para trabalhar junto com o grande gravurista Gilvan Samico no 47º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco na exposição Narrativas em Madeira e Muro, Museu do Estado, Recife, 2008. A primeira exposição individual aconteceu na Artur Fidalgo galeria no Rio de Janeiro em 2011, depois participou também da coletiva Autivistas na Oscar Cruz galeria, São Paulo, 2013.

Paralelamente ainda continuou se dedicando a pintura mural onde criou grandes painéis em fachadas de prédios e etc. Se destacam os feitos nas cidades de Amsterdam (HOL) e Lisboa (PT), 2012. Newcastle (UK), 2013 e o mural dentro da Embaixada do Brasil em Londres (UK), 2016.

Principais exposições


Individuais

2019 – A Beleza do Tempo, Galeria Amparo60, Recife-PE.
2018 – O Reinado da Lua, Artur Fidalgo galeria, Rio de Janeiro-RJ.
2014 – Ouro Branco, Artur Fidalgo galeria, Rio de Janeiro-RJ.
2013 – Memórias, Dumaresq galeria de arte, Recife-PE.
2012 – Reis, Rainhas e Plebeus – Centro Cultural Furnas Eletrobrás, Rio de Janeiro-RJ.
2012 – O Novo Mundo Livre, Funarte, Recife-PE.
2011 – Derlon, Artur Fidalgo galeria, Rio de Janeiro-RJ.

 

Coletivas

2019 – Coletiva 70, Casa70 Lisboa – PT

2016 – Brazilian Street Art, Horniman Museum, London-UK.
2015 – Villa Ocupada, Nantes-FR.
2014 – Arte Core, MAM (Museu de Arte Moderna), Rio de Janeiro-RJ.
2014 – De l’Art à l’Ourcq, Paris-FR.
2013 – Autivistas, Oscar Cruz galeria, São Paulo-SP.
2012 – Mix Max Brazil – Tropenmuseum Junior, Amsterdã-HOL.
2011 – Derlon & Seth, Atelier du Passe Partout, Saint Brieuc-FR.
2010 – Ocupação Chico Science, Itaú Cultural, São Paulo-SP.
2010 – Derlon & Galo, Arte Plural galeria, Recife-PE.
2009 – Da Rua : Que Pintura É Essa, Funarte, Rio de Janeiro-RJ.
2009 – Derlon e a Incrível Metamorfose Macunamouse (colaboração com Franklin Cassaro), Graphos Brasil, Rio de Janeiro-RJ.
2008 – Narrativas em Madeira e Muro – Samico e Derlon, 47º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, Museu do Estado (MEP), Recife-PE.
2007 – Estética da Periferia, Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM), Recife-PE.
2006 – Semana de Artes Visuais (SPA), Recife-PE.
2005 – Semana de Artes Visuais (SPA), Recife-PE.

stayhome.youarenotalone.derlon-01.jpg